Raquel RH


Blogging

6 Dicas para se preparar para provas longas

Posted by Raquel RH on

Realizar uma prova é sempre um motivo para ansiedade e preocupações. Mas quando essa prova pode decidir sobre a sua formação profissional, início de carreira e conclusão de uma etapa educacional, o nervosismo aumenta. Para amenizar a apreensão antes da realização de exames nesse grau de dificuldade, e normalmente com um grande número de questões, existem algumas dicas que podem ajudar.

Cronograma de estudos

Uma boa forma de se preparar para provas longas é se programar e criar um cronograma de estudos. Para o Encceja 2019, por exemplo, o site oficial permite que seja impressa provas anteriores, e indica quais conteúdos devem fazer parte da prova daquele ano.

O candidato pode refazer as provas dos anos anteriores dentro do tempo limite, e assim calcular quanto tempo demora para realizar o exame.

Além disso, saber quais conteúdos farão parte do vestibular pode te ajudar no cronograma de estudos. Priorizando as matérias que tem mais dificuldade, e procurando ajuda para solucionar aqueles problemas que não consegue resolver sozinho.

Provas  e vestibulares longos

O governo federal junto com o Ministério da Educação (MEC), e o INEP, vem produzindo provas e vestibulares com o objetivo de inserir jovens e adultos no ensino superior. Ou, como no caso da prova do Encceja 2019, possibilitar a emissão de certificado de conclusão do ensino médio

Dentro da lista dos vestibulares com maior tempo de duração, produzidos ou não pelo governo, estão:

  • ENEM – quatro provas objetivas com 45 questões cada. Além de uma redação;
  • Encceja – quatro provas objetivas com 30 questões cada. E uma redação;
  • Fuvest – na primeira fase são 90 questões objetivas. Na segunda fase 16 questões dissertativas.

Como se preparar para fazer provas longas

Além do nervosismo que precisa ser controlado, outras dicas podem ajudar os candidatos a realizar provas com bastante tempo de duração.

Como foi dito, treinar para cumprir com o horário estipulado é uma boa forma de se antecipar. Mas, essa preparação vai muito além do tempo exigido, e sim de como esse candidato se comporta psicologicamente.

Veja algumas dicas:

  1. Leve água e um lanche leve;
  2. Um dia antes da prova descanse o seu corpo e sua mente;
  3. Não adianta insistir em uma questão que não sabe, se verificar que realmente não tem a resposta, pule para a próxima;
  4. Leve mais de um lápis e caneta, para evitar imprevistos;
  5. Relaxe e se concentre naquele momento, evitando crises de ansiedade.
Blogging

O que pode levar um funcionário público a ser demitido?

Posted by Raquel RH on

Você já deve saber que o funcionário público pode dispor de um funcionamento de trabalho diferente, seja pela carga reduzida ou a menor possibilidade de demissão.

Mas afinal, o que pode levar esta categoria de trabalhadores a ser dispensada de suas funções? Para entender melhor sobre a demissão do servidor público, continue lendo.

Como alcançar um cargo público?

Os cargos públicos podem proporcionar diversos benefícios para o trabalhador, e são justamente estes benefícios que atraem a atenção de diversos públicos.

Para ingressar na carreira pública é preciso antes prestar concurso oficial. Estas seleções acontecem entre longos períodos de tempo, o que as tornam ainda mais competidas.

O que leva um funcionário público a ser demitido?

Como é selecionado para os cargos através de um concurso público, a demissão para o funcionário público tem um funcionamento diferente da demissão regular. Este trabalhador só pode ser dispensado de suas funções em situações graves.

Quando o servidor público comete um crime contra a administração, como por exemplo, aceitar suborno ou propina. Usar o seu poder no cargo para benefício próprio também pode levar à demissão por justa causa, se comprovado.

Outro ponto que também pode fazer com que o funcionário público seja dispensando é o abandono no emprego. É considerado abandono a ausência no trabalho por um período superior a 30 dias. Mas vale lembrar que esta ação só pode ser aplicada por meio de processo administrativo.

O que é o processo administrativo e a reintegração?

Para ser demitido, o funcionário público deve passar por processo administrativo. Este recurso é aberto e conduzido por comissão pública e o servidor tem direito a total defesa. Lembrando que qualquer funcionário pode abrir requerimento de reavaliação na Justiça pelo processo.

Para o servidor federal, o processo administrativo será avaliado por diversos órgãos, como o  Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, depois pela Controladoria Geral da União (CGU), entre outros.

Quando solicita a reavaliação e vence a causa, o servidor deve pedir a reintegração do seu cargo. Este recurso permite que ele assuma as funções antes praticadas normalmente.

Quais as vantagens deste setor?

Quem exerce funções na carreira pública irá dispor de diversos privilégios importantes e por isso, as regras de trabalho devem ser seguidas restritamente a fim de que o mesmo não seja dispensado do cargo.

O funcionário selecionado através de concurso público terá uma remuneração média superior aos cargos privados, mesmo para servidores de nível médio. Além disso, a carga horaria também é mais flexível, tendo geralmente duas folgas semanais.